segunda-feira, 28 de junho de 2010

Apenas uma Brisa

Uma brisa de Luz, é o que basta para um brilho em meu olhar.
Um caminho sereno, é o suficiente para encontrar minha paz.
 Paz, minha paz, quanta alegria reencontrá-la em meu ser,
sua beleza é tamanha que meu sorriso contempla sua presença.
Um dia pensei que tinha esquecido, estava eu muito distante,
longe de meu estado silencioso, onde os melhores sentimentos
 têm a permissão para manifestar seus encantos;
encantos pela vida, encantos pela possibilidade
de sentir o amor invadir meu ser, encantos em partilhar
esta nobre expressão a todos os meus irmãos.


Visite este site maravilhoso, são mensagens maravilhosas,
vá lá...confira, sei que você vai gostar
www.paz.com.br
Parábolas e Poesias

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Homens Maduros
Autor: Zélia Gattai

Há uma indisfarçável e sedutora beleza na personalidade de muitos Homens que hoje estão na idade madura.
É claro que toda regra tem suas exceções, e cada idade tem o seu próprio valor.
Porém, com toda a consideração e respeito às demais idades, destacarei aqui uma classe de Homem que são companhias agradabilíssimas:
Os que hoje são quarentões, cinqüentões e sessentões.
Percebe-se com uma certa facilidade, a sensibilidade de seus corações, a devoção que eles têm pelo que há de mais belo: O SENTIMENTO.
Eles são mais inteligentes, vividos, charmosos, eloqüentes.
Sabem o que falam e sabem falar na hora certa.
São cativantes, sabem fazer-se presentes sem incomodar. Sabem conquistar uma boa amizade.
Em termos de relacionamentos, trocam a quantidade pela qualidade, visão aguçada sobre os valores da vida, sabem tratar uma mulher com respeito e carinho.
São Homens especiais, românticos, interessantes e atraentes pelo que possuem na sua forma de ser, de pensar e de viver.
Na forma de encarar a vida, são mais poéticos, mais sentimentais, mais emocionais e mais emocionantes.
Homens mais amadurecidos têm maior desenvoltura no trato com as mulheres, sabem reconhecer as suas qualidades, são mais espirituosos, discretos, compreensivos e mais educados.
A razão pela qual muitos Homens maduros possuem estas qualidades maravilhosas deve-se a vários fatores: a opção de ser e de viver de cada um, suas personalidades, formação própria e familiar, suas raízes, sabedoria, gostos individuais, etc...
Mas eu creio que em parte, há uma boa parcela de influência nos modos de viver de uma época, filmes e músicas ouvidas e curtidas deixaram boas recordações da sua juventude, um tempo não tão remoto, mas que com certeza, não volta mais.
Viveram a sua mocidade (época que marca a vida de todos nós) em um dos melhores períodos de nosso tempo: Os anos 60 e 70. Considerados as “décadas de ouro” da juventude, quando o romantismo foi cantado em verso e prosa.
A saudável influência de uma época, provocada por tantos acontecimentos importantes, que hoje permanecem na memória, e que mudaram a vida de muitos. Uma época em que o melhor da festa era dançar agarradinho e namorar ao ritmo suave das baladas românticas. O luar era inspirador, os domingos de sol eram só alegria.
Ouviam Beatles, Johnny Mathis, Roberto Carlos, Antonio Marcos, The Fevers, Golden Boys, Bossa Nova, Marres Albert, Jovem Guarda e muitos outros que embalaram suas “Jovens tardes de domingo, quantas alegrias! Velhos tempos, belos dias.”
Foram e ainda são os Homens que mais souberam namorar: Namoro no portão, aperto de mão, abraços apertadinhos, com respeito e com carinho, olhos nos olhos tinham mais valor... A moda era amar ou sofrer de amor. Muitos viveram de amor... Outros morreram de amor...
Estes Homens maduros de hoje, nunca foram homens de “ficar”. Ou eles estavam a namorar pela certa, ou estavam na “fossa”, ou estavam sozinhos. Se eles “ficassem”, ficariam para sempre... ao trocar alianças com suas amadas.
Junto com Benito de Paula, eles cantaram a “Mulher Brasileira, em primeiro lugar!”
A paixão pelo nosso país era evidente quando cantavam:
“As praias do Brasil, ensolaradas
No céu do meu Brasil, mais esplendor..
A mão de deus, abençoou,
Mulher que nasce aqui, tem muito mais amor...
Eu te amo, meu Brasil, eu te amo...
Ninguém segura a juventude do Brasil... sil... sil... sil...”
A juventude passou, mais deixou “gravado” neles, a forma mais sublime e romântica de viver.
Hoje eles possuem uma “bagagem” de conhecimentos, experiências, maturidade e inteligência, que foram acumulando com o passar dos anos.
O tempo se encarregou de distingui-los dos demais: Deixando os seus cabelos cor-de-prata, os movimentos mais suaves, a voz pausada, porém mais sonora. Hoje eles são Homens que marcaram uma época.
Eu tenho a felicidade de ter alguns deles como amigos virtuais, mesmo não os vendo pessoalmente, percebo estas características através de suas palavras e gestos.
Muitos deles hoje, “dominam” com habilidade e destreza essas máquinas virtuais, comprovando que nem o avanço da tecnologia lhes esfriou os sentimentos pois ainda se encontram com versos, rimas, músicas e palavras de amor. Nem lhes diminuiu a grande capacidade de amar, sentir e expressar seus sentimentos. Muitos tornaram-se poetas, outros amam a poesia.
Porque o mais importante não é a idade denunciada nos detalhes de suas fisionomias e sim os raros valores de suas personalidades.
O importante é perceber que os seus corações permanecem jovens... São Homens maduros, e que nós, mulheres de hoje, temos o privilégio de poder admira-los.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Ola Pessoal, eu acesso este site http://somostodosum.ig.com.br  há alguns anos.
E nestes anos, estas pessoas iluminadas que escrevem para o site, tem me ajudado muito no meu caminho, tenho aprendido muita coisas com eles...é maravilhoso.
Hoje estou tomando a liberdade de postar um artigo que achei muito interessante de Saul Brandalise, que sempre leio e gosto muito.
Espero que gostem, se gostar acesse o site é um caminho de luz  
Um grande abraço a todos.
E muito obrigada ao  SOMOS TODOS UM.
Angy


Tempo Certo
:: Saul Brandalise Jr. ::

Todos nós já nos perguntamos:
Caramba, o que será que estou fazendo aqui, neste local, com estas pessoas, nesta cidade, neste país, neste planeta, nesta hora?
Se você ainda não se perguntou, certamente um dia o fará.
Já aprendi e, mais importante, compreendi, que em qualquer circunstância, eu sempre estava na hora e no lugar em que deveria estar, portanto, no lugar e no tempo certo, para mim, para minha evolução.
Percebi, com todas as letras, como reza a expressão, que não existem coincidências e, tampouco, que nada é por acaso.
Igualmente, sei que aquele olhar familiar trocado, embora seja a primeira vez, é realmente um reencontro. Não importa se vem de homem ou mulher. É reencontro sim.
Aprendi, e deixo seguir a reação de rejeição a um perfume ou a uma voz, quando encontro a pessoa, porque sei a origem de tudo isso.
Aprecio, mais ainda agora, a "sedosidade" ao toque na pele, embora possa ser ela até mais perceptiva do que a minha, ou de mais idade, como queiram. Também sei as razões deste ato, desta reação.
Portanto, para mim tudo tem o seu tempo.
As pessoas em minha volta ficam intrigadas quando eu afirmo:
Calma, muita calma nesta hora. O tempo é nosso maior aliado.
Sim, o tempo será eternamente certo e nosso aliado, se nós nos comportarmos com retidão e postura. Nada precisa ser temido se nossos pensamentos e conseqüentes atitudes forem conforme as Leis do Universo:
Não Matar, Não Julgar, Não Roubar... A Vida é Causa e Efeito e Todos tem o Livre-Arbítrio para aprenderem.
Claro que o Não Matar, por exemplo, é muito amplo... Não Matar uma idéia.
Não Roubar uma idéia, por sua vez é tão forte quanto. Os aproveitadores de plantão que o digam. Ninguém consegue desfrutar para si os louros e benefícios financeiros das idéias dos outros.
Julgar pela aparência é o fator determinante de falha. Temos que ter condições de entendermos o interior da pessoa, como ela foi educada ou criada e quais os seus reais valores.
Assim, é evidente para nossa essência que não vivemos uma vida só.
Que teremos, para aprender realmente e, assim evoluir, de cumprir todo o Zodíaco. Vida após Vida. Cada signo tem as características necessárias para assimilarmos e aprendermos como conviver com elas.
Não é por um acaso, por exemplo, um Geminiano tem dificuldades para decidir, assim como um Libriano precisa se equilibrar em suas atitudes e emoções. Cada signo traz em si um forte aprendizado. E quem por ele é regido tem que saber assimilar todas as suas características. Assim se evolui. Porém, é bom que se frise que é mais fácil não fazer nada e buscar culpar os outros.
A essência, ou alma, como queiram, não tem cor. Nosso corpo é apenas um rótulo temporário desta vida. Não há razões para discriminações e tampouco para superproteções. Cada um tem para si o que precisa ter nesta vida. É resgate, sim.
As diferenças sociais, financeiras, familiares, de nacionalidade, de pele, não são por um acaso. Em cada atitude ou ação há uma razão de ser e de assim proceder.
Eu escolhi ser o que sou, viver onde vivo e com quem vivo. Tudo está inserido dentro de um contexto e plano desta vida. Porém, se não tiver conseguido vencer os desafios na vida passada, eles serão maiores, assim como as dificuldades.
As adversidades que encontramos na caminhada não são obra do acaso.
E o destino? Ele está em minhas mãos, em minhas decisões e atitudes. Sou hoje o que decidi até ontem.
Ou você acha que rico não tem depressão? Ou você não entende por que um artista famoso sofre de solidão? Sendo que, segundo o seu conceito, o artista poderia ter de tudo... Ora, mas... e no conceito dele, o que é ter tudo? O que será que representa a liberdade de ir e vir para ele? O mesmo que para nós?
É... está vendo como nada é fácil? Cada ser humano escolheu ser o que é, com as dificuldades inerentes à caminhada evolutiva. Para ninguém a vida é um mar de rosas sem espinhos...
Os países são mais um exemplo disso...
No Brasil é minha escolha ser corrupto ou não. Na Argentina é minha escolha ser arrogante ou não. Na Alemanha é minha escolha ser objetivo ou não. Na Suíça é minha escolha ser disciplinado ou não. Na Itália é minha escolha ser simplesmente alegre e não vadio. Cada país apresenta as facilidades para desvios de caráter e postura. Cada país com as suas dificuldades e peculiaridades. Cada país tem em si o aprendizado dos que lá vivem, em seu meio, cultura e tradições.
Nosso Brasil é fantástico, não é mesmo? Rico, belo, bem delimitado, com frio, calor, água, praias, ilhas, pantanal; judeus e árabes vivendo na mesma rua em paz. Liberdade, nada de guerras, tudo quase perfeito, enfim...
Porém, em nenhum outro país do mundo você vai encontrar tantos corruptos juntos... O segredo aqui é saber viver com retidão e ética, sem permitir ser contaminado.
Ou na outra vida poderei viver no Afeganistão correndo até o risco de ser um homem-bomba... Está vendo como agora o Livre-Arbítrio começa a fazer sentido?
Portanto, tudo está perfeitamente relacionado e no Tempo Certo, com as pessoas e o lugar onde vivemos.
Está ruim... é resgate. Está bom... é plantio.
Contudo, resta saber como eu "adubo" o meu "bom"? Se utilizar álcool e droga, como posso esperar uma colheita adequada? A felicidade brota de dentro e não vem de fora com "combustíveis químicos".
Neste caso, o tempo jamais irá ficar certo.
Assim, nada que está em nossa volta é coincidência, por um acaso ou provocado pelos outros. Sempre o LEME de nossa vida estará em nossas mãos, o resultado dependerá da correta utilização de nosso SIM e de nosso NÃO.
São estas duas mágicas palavras, empregadas a nosso favor, que constroem a nossa tão almejada felicidade.
Ei, você, sei que nos veremos.
Cuide-se

Beijo na Alma

Saul Brandalise Jr. é colaborador do Site,
autor do livro: O Despertar da Consciência da editora Theus, onde mostra através das narrativas de suas experiências como extrair lições de vida e entusiasmo de cada obstáculo que se encontra ao longo de uma vida.
VISITE SEU SITE: http://somostodosum.ig.com.br/d.asp?i=109
Email: sbj@tvbv.com.br

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Aprendendo a Pedir

Rafi, um jovem discípulo atento e dedicado, resolveu isolar-se nas montanhas para trabalhar melhor o medo que ainda sentia das criações do seu próprio ego.
Quando lá chegou, um Velho sorridente o recebeu:
Sejas bem vindo, Filho!
Rafi não estava esperando encontrar ninguém naquele lugar, então perguntou:
não esperava encontrar ninguém nesta montanha, o que fazes aqui?
E o Velho, calmamente, respondeu:
Vim para realizar qualquer pedido que me faças.
E seja muito preciso, pois terás direito apenas a um pedido.
Rafi estranhou, mas aceitou a proposta do Velho e fez o seu pedido:
Desejo nunca mais sentir medo de nada!
E o Velho disse:
Que assim seja!
E quando Rafi voltou-se para o velho, este havia sumido.
Anoiteceu e Rafi começou a sentir muito medo dos sons que vinham da mata.
Por mais que tentasse manter-se relaxado e meditativo, não conseguia.
O medo o tomava cada vez mais.
Em todos os cantos da montanha ele percebia inúmeros perigos e começou a gritar por socorro.
Sentia um medo enorme pairando em seu ser, ao ponto de entrar em pânico.
Socorro, socorro!
Alguém me ajude!
E de repente o Velho apareceu na sua frente.
Rafi gritou ainda mais com a aparição inesperada do Velho.
Por que estás a gritar, Rafi?
Ora, pedi que ficasse livre de todos os medos e o que eu mais sinto neste momento é exatamente o oposto.
Não atendestes ao meu pedido, Velho.
E agora estou em apuros.
E então o Velho lhe disse:
Quando pedes, deves saber que nada desaparece ou aparece por si mesmo.
Para estar livre do medo, deves trabalhar com o medo.
Deves encará-lo de frente, conhecer sua natureza frágil e ilusória.
Só assim, mostrando tua determinação em aprender, é que dissipas as maiores ilusões criadas por ti mesmo.
"Quando sentires falta de alguma coisa que ainda não tens, não precisas entristecer-te.
Se esta mesma coisa possuir valor para ti, recolha teu ser no mais absoluto silêncio e pede.
Mas, pede exatamente como queres.
Pois, em muito dos teus pedidos ainda desconheces as conseqüências que acompanham cada um deles.
Teus pedidos nunca vêm sozinhos.
Tens que estar ciente que, para receber o que pediste, deves estar preparado para também receber os meios pelos quais eles podem ser realizados.
E, será que tu estás preparado para passar por estes meios?".

Visite este site ILUMINADO
www.paz.com.br
Parábolas e Poesias

sábado, 19 de junho de 2010

Saber esperar
Tantas vezes queres que tudo aconteça, já, neste segundo...
E quando os dias passam e algo te acontece, agradeces pelo tempo dado, pela espera ansiosa, pela alegria agora tão presente.
Esperar requer boa vontade, compreensão e discernimento.
Enquanto esperas, não entres em confusão...
Faze dos teus dias, dias de sol.
Faze das tuas noites, noites de luas e estrelas.
Para que por eles tu atravesses em celebração, em doçura, em devoção.
Sem ser tocado pelo medo, m ser escondido pela escuridão, sem ser engolido pela fome da ilusão.
Não te enganes achando que somente tu é quem dará as tuas próprias direções.
Há livre arbítrio, mas há cursos que deverás incorrer sem ao menos saberes o porquê.
Nestes tempos, tranqüiliza, pois teu coração reconhece e vive intensamente o que a luz deixa derramar sobre ti sem a tua devida consciência.
Tudo porque ainda não sabes o que é melhor para ti.
Tudo porque ainda tens dúvidas quanto ao teu valor, a estrela que reluz dentro de ti.
Tua existência é rodeada de cuidados, de proteção e de amor.
Tua existência é sagrada, portanto, vive o que te é dado viver.
Quando tua vida parecer parar em algum
ponto do tempo, lembra-te que esperar é ser confiante, e ser confiante reflete aquele que nunca se esquece de tecer a sua própria rede.
Espera com teu coração e tua mente saberá o silêncio descansando em paciência.

Do Iluminado site: www.paz.com.br , visite você vai gostar
Mensagem do dia

quinta-feira, 17 de junho de 2010

O HOMEM
Autor: Sophia de Mello Breyner Andresen


Era uma tarde do fim de Novembro, já sem nenhum Outono.
A cidade erguia as suas paredes de pedras escuras. O céu estava alto, desolado, cor de frio. Os homens caminhavam empurrando-se uns aos outros nos passeios. Os carros passavam depressa.
Deviam ser quatro horas da tarde de um dia sem sol nem chuva.
Havia muita gente na rua naquele dia. Eu caminhava no passeio, depressa. A certa altura encontrei-me atrás de um homem muito pobremente vestido que levava ao colo uma criança loira, uma daquelas crianças cuja beleza quase não se pode descrever. É a beleza de uma madrugada de Verão, a beleza de uma rosa, a beleza do orvalho, unidas à incrível beleza de uma inocência humana.
Instintivamente o meu olhar ficou um momento preso na cara da criança. Mas o homem caminhava muito devagar e eu, levada pelo movimento da cidade, passei à sua frente. Mas ao passar voltei a cabeça para trás para ver mais uma vez a criança.
Foi então que vi o homem. Imediatamente parei. Era um homem extraordinariamente belo, que devia ter trinta anos e em cujo rosto estavam inscritos a miséria, o abandono, a solidão. O seu fato, que tendo perdido a cor tinha ficado verde, deixava adivinhar um corpo comido pela fome. O cabelo era castanho-claro, apartado ao meio, ligeiramente comprido. A barba por cortar há muitos dias crescia em ponta. Estreitamente esculpida pela pobreza, a cara mostrava o belo desenho dos ossos. Mas mais belos do que tudo eram os olhos, os olhos claros, luminosos de solidão e de doçura. No próprio instante em que eu o vi, o homem levantou a cabeça para o céu.
Como contar o seu gesto?
Era um céu alto, sem resposta, cor de frio. O homem levantou a cabeça no gesto de alguém que, tendo ultrapassado um limite, já nada tem para dar e se volta para fora procurando uma resposta: A sua cara escorria sofrimento. A sua expressão era simultaneamente resignação, espanto e pergunta. Caminhava lentamente, muito lentamente, do lado de dentro do passeio, rente ao muro. Caminhava muito direito, como se todo o corpo estivesse erguido na pergunta. Com a cabeça levantada, olhava o céu. Mas o céu eram planícies e planícies de silêncio.
Tudo isto se passou num momento e, por isso, eu, que me lembro nitidamente do fato do homem, da sua cara, do seu olhar e dos seus gestos, não consigo rever com clareza o que se passou dentro de mim. Foi como se tivesse ficado vazia olhando o homem.
A multidão não parava de passar. Era o centro do centro da cidade. O homem estava sozinho, sozinho. Rios de gente passavam sem o ver.
Só eu tinha parado, mas inutilmente. O homem não me olhava. Quis fazer alguma coisa, mas não sabia o quê. Era como se a sua solidão estivesse para além de todos os meus gestos, como se ela o envolvesse e o separasse de mim e fosse tarde de mais para qualquer palavra e já nada tivesse remédio. Era como se eu tivesse as mãos atadas. Assim às vezes nos sonhos queremos agir e não podemos.
O homem caminhava muito devagar. Eu estava parada no meio do passeio, contra o sentido da multidão.
Sentia a cidade empurrar-me e separar-me do homem. Ninguém o via caminhando lentamente, tão lentamente, com a cabeça erguida e com uma criança nos braços rente ao muro de pedra fria.
Agora eu penso no que podia ter feito. Era preciso ter decidido depressa. Mas eu tinha a alma e as mãos pesadas de indecisão. Não via bem. Só sabia hesitar e duvidar. Por isso estava ali parada, impotente, no meio do passeio. A cidade empurrava-me e um relógio bateu horas.
Lembrei-me de que tinha alguém à minha espera e que estava atrasada. As pessoas que não viam o homem começavam a ver-me a mim. Era impossível continuar parada.
Então, como o nadador que é apanhado numa corrente desiste de lutar e se deixa ir com a água, assim eu deixei de me opor ao movimento da cidade e me deixei levar pela onda de gente para longe do homem.
Mas enquanto seguia no passeio rodeada de ombros e cabeças, a imagem do homem continuava suspensa nos meus olhos. E nasceu em mim a sensação confusa de que nele havia alguma coisa ou alguém que eu reconhecia.
Rapidamente evoquei todos os lugares onde eu tinha vívido. Desenrolei para trás o filme do tempo. As imagens passaram oscilantes, um pouco trémulas e rápidas. Mas não encontrei nada. E tentei reunir e rever todas as memórias de quadros, de livros, de fotografias. Mas a imagem do homem continuava sozinha: a cabeça levantada que olhava o céu com uma expressão de infinita solidão, de abandono e de pergunta.
E do fundo da memória, trazidas pela imagem, muito devagar, uma por uma, inconfundíveis, apareceram as palavras:
- Pai, Pai, por que me abandonaste?
Então compreendi por que é que o homem que eu deixara para trás não era um estranho. A sua imagem era exactamente igual à outra imagem que se formara no meu espírito quando eu li:
- Pai, Pai, por que me abandonaste?
Era aquela a posição da cabeça, era aquele o olhar, era aquele o sofrimento, era aquele o abandono, aquela a solidão.
Para além da dureza e das traições dos homens, para além da agonia da carne, começa a prova do último suplício: o silêncio de Deus.
E os céus parecem desertos e vazios sobre as cidades escuras.
Voltei para trás. Subi contra a corrente o rio da multidão. Temi tê-lo perdido. Havia gente, gente, ombros, cabeças, ombros. Mas de repente vi-o.
Tinha parado, mas continuava a segurar a criança e a olhar o céu.
Corri, empurrando quase as pessoas. Estava já a dois passos dele. Mas nesse momento, exactamente, o homem caiu no chão. Da sua boca corria um rio de sangue e nos seus olhos havia ainda a mesma expressão de infinita paciência.
A criança caíra com ele e chorava no meio do passeio, escondendo a cara na saia do seu vestido manchado de sangue.
Então a multidão parou e formou um círculo à volta do homem. Ombros mais fortes do que os meus empurram-me para trás. Eu estava do lado de fora do círculo. Tentei atravessá-lo, mas não consegui. As pessoas apertadas umas contra as outras eram como um único corpo fechado. À minha frente estavam homens mais altos do que eu que me impediam de ver. Quis espreitar, pedi licença, tentei empurrar, mas ninguém me deixou passar. Ouvi lamentações, ordens, apitos. Depois veio uma ambulância. Quando o círculo se abriu, o homem e a criança tinham desaparecido.
Então a multidão dispersou-se e eu fiquei no meio do passeio, caminhando para a frente, levada pelo movimento da cidade.
**
Muitos anos passaram. O homem certamente morreu. Mas continua ao nosso lado. Pelas ruas.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Antes do amanhecer
Autor: Meire Michelin
O início de um novo percurso
muitas vezes pode te parecer obscuro.
Pode não iluminar tua fronte,
Tampouco oferecer-te água e sol para as tuas flores.
Pode deixar-te sentindo vazios, sentimentos entrelaçados...
Mas vê, não é o momento antes do
amanhecer o período mais escuro?
E não é o céu carregado de nuvens que
alivia a terra com suas chuvas,
limpando a poeira do dia a dia?
Tem paciência com o novo.
A dificuldade inicial é necessária para que o ovo se quebre,
para que dele saia a ave e esta ave voe para o céu, para a sua liberdade.
Tem confiança para com o movimento
da vida que te cerca de bênçãos.
Se souberes usufruir, aprenderás que
não há folha que caia de uma árvore
sem a permissão do Criador.
Tem humildade para com teu crescer.
Não é a semente do carvalho a menor de todas as sementes?
E não é desta mesma semente que nasce a grande árvore para que
tu descanse em sua sombra?
Tem alegria para com o que te é dado.
O grande sábio é aquele que vive com o mínimo, assim fortalece o seu desapego para com as coisas que não são realmente necessárias para que sua luz brilhe e
se estenda a outros que dela necessitam.
Tem gratidão para com o que és.
Acima de toda a separação que tu fizeste entre ti e o Criador, acima de toda dor e solidão, de toda miséria e pequenez, teu ser ilumina e neste nível ele é perfeito,
isento de erros e culpas.
Tem amor para contigo e para com os teus.
Dessa forma fortaleces a ti mesmo e ensina aos teus que o único caminho para crescer aos olhos de Deus é compartilhar aquilo que, em ti, atende pelo nome de amor.

Do amoroso site: www.paz.com.br 
Mensagem do Dia

terça-feira, 15 de junho de 2010

Tudo está em ti
Quando o primeiro raio de sol se fizer
presente em teu dia, não esquece
de agradecer por mais este milagre.
Quando a primeira estrela aparecer
aos teus olhos, saibas que esta é apenas a primeira que ser-te-á dada esta noite,
pois além das outras a lua também virá
para te fazer companhia.
Quando o céu escurecer e as nuvens pesadas anunciarem a grande chuva,
percebe os ventos que a antecedem e vê como sacodem a
natureza e fica contente, a chuva que cai
alimenta até mesmo a sede da tua alma.
Quando teus olhos percorrerem as colinas
que brotam da tua alegria, sê grato,
quando permites, a sabedoria te é dada
e a comunhão com Deus é presente.
Quando teu humor estiver ruim e tua energia estiver
bloqueada pela falta de alguma coisa,
lembra que há dois caminhos a percorrer:
ou fecha tuas portas para a vida e deixa a luz brilhando lá fora,
ou sê a própria porta, a própria luz e o próprio conhecimento.
A força está em ti, por isso és tão capaz de criar.
Apenas cuida com tuas criações.
O amor está em ti, por isso és um com Deus.
Procura não esquecer deste detalhe.
A beleza, a leveza, a doçura estão em ti.
Apenas usufrua, apenas permita ser.
A compreensão, a gentileza e a alegria
são atributos que a ti pertencem.
Apenas compartilha com os teus e verás
a realidade que o Criador deixou para ti.
Um mundo feito de amor, uma vida inteira de bênçãos,
um oásis no deserto, não são suficientes para te fazer feliz
quando não é isto que busca para ti.
    

Do Iluminado  site:
www.paz.com.br
Esta é a Mensagem do Dia

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Visão Interior
Converso com Meu Amor interior e Ele diz:
Um passo, uma parada, e a tua vida vai alinhando-se ao que deve ser observado, para que assim, possas conceber tua senda.
Uma curva, uma reta, e o teu ser vai adaptando-se aos meios que te serão necessários para que possas trilhar os desígnios que a ti estão reservados.
Um choro, uma alegria, e a tua consciência vai extraindo o bem e o mal, ficando para ti uma doce fração silenciosa para que possas conceber tua paz.
Uma certeza, uma dúvida, e o teu esforço vai sendo modelado,feito argila, nas mãos experientes do conhecimento.
Algumas palavras, um pouco de silêncio, e tua intuição vai florescendo para que teu ser esteja sempre em harmonia com as palavras silenciosas que vem do teu Criador.
Estás constantemente em processo de aprendizagem...
Procura ver teus momentos com tua visão interior e encontrarás sentido para todas as coisas...
Isto é crescer!

www.paz.com.br
Parábolas e Poesias

domingo, 13 de junho de 2010

 AMIZADE

A amizade está para o ser humano como a flor está para o jardim.
Não podemos nos separar da qualidade em servir, amar e estar diante de nossos amigos;
para que nossos sentidos, nossa sabedoria e nosso amor estejam presentes em todos os nossos atos
e em todas as nossas relações.
Os amigos nos trazem o conforto e a segurança para podermos sorrir, amar e cantar as alegrias da vida.
Somos todos iguais, quando estamos entrelaçados com estes companheiros e, assim, devemos valorizar e crescer juntos para que uma condição de vida seja, a cada dia, fortalecida e agraciada pela sabedoria e pela grandiosa amizade.
Somos gratos, quando um amigo mostra um caminho tão difícil de ser descoberto.
Somos gratos, quando descobrimos que nosso amor existe, está disponível a nós e a todos a quem dele necessita com tanto interesse.
São os amigos que nos dão a mão nas horas difíceis, e são a eles que podemos prestar a nossa ajuda, o nosso amor e companheirismo.
Então, vamos valorizar, enriquecer e saborear esta grande condição da vida que é simplesmente ser amigo e companheiro.

Do Site: www.paz.com.br
Caminhos para o Coração

sábado, 12 de junho de 2010

Um DEUS Solitário


Tua presença, tão necessária à Criação, alegra Meu Ser.
Um Ser que busca, constantemente, ver-te pleno, tranqüilo em tua luz, em tua perfeição.
Mas, percebo que não estás em paz, e estás assim
por teres acreditado que ela poderia ser roubada de ti,
um ser que, por natureza, contém todas as coisas.
Um ser que tem tudo, porque és tudo.
Vejo-te cabisbaixo, olhando para o chão como se lá estivesse a tua cura, o teu alento.
Vejo tuas mãos escondendo o teu coração
e vejo tua vontade conformada no vazio dos teus dias.
Por mais que Eu queira, não consigo entender...
Tantos vales para caminhares,
Tantos rios, tantos mares para te banhares,
Tanta luz, tantas cores para te alegrares,
Tantas estrelas, noites calmas para que
no teu silêncio nosso encontro fosse possível...
Dei-te o mais nobre lugar entre a Criação
porque és aquele que chamo por Meu Filho.
Dei-te um ser perfeito,
onde tudo está e de onde nada pode ser tirado,
roubado ou danificado,
para que estivesses seguro em todas as circunstâncias.
E tu escolheste ser imperfeito, tu escolheste atacar
ao invés de amar aqueles que são teus irmãos, teus iguais.
Escolheste o ódio ao amor, a tristeza à alegria, o sofrimento ao prazer.
Olho para ti e percebo que sem a tua beleza original,
o Meu Reino é incompleto.
Percebo tua inocência, o teu olhar perdido,
próprio daqueles que não sabem o que fazem
e aquieto Meu Ser,
pois estabeleci que a tua vontade seria respeitada acima de todas as coisas.
Sei que tu Me procuras, mas digo que a tua vontade ainda não é suficiente.
Deves querer verdadeiramente e tu Me encontrarás.
Estou em ti, Meus Pensamentos estão contigo.
Acha-me e Serei Completo.
Acha-me e Deixarei de Ser um Deus Solitário.
Liberta teu ser Criança, para que possas usufruir de tudo aquilo que és.
És mais que as montanhas, que o sol, que o ar que respiras.
És o Meu Filho Amado, em quem Me Comprazo.
Traga para Mim um pouco da tua terra, e Dar-te-ei um jardim florido.
Traga para Mim teu sofrer e O transformarei em alegria, livrando-te de todos os teus mal-estares, ascendendo teu espírito para que vejas a luz.
Traga para Mim o pouco de amor que te resta, e Dar-te-ei a memória de quem és.
Alegra teu ser Minha Criança e Encontra-Me em teu doce coração
para que assim possas deixar de te sentir pequeno, porque és grande.
Para que assim Eu possa deixar de ser solitário, porque sou o teu Criador.

Do site: www.paz.com.br
Parábolas e Poesias

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Alegria de Viver

Por que permanecer na confusão dos teus sentimentos,
quando podes optar em crescer,
amadurecer e encontrar meios precisos
de estar de bem contigo mesmo?
Deixa tua dor e vai em busca daquilo
que não requer a cura
por trazer a perfeição por si só.
Não permitas que coisa alguma obscureça
a necessidade que tens de encontrar a ti mesmo.
E tudo começa hoje, no teu dia,
no teu momento presente.
Respira e deixa que teu coração
te ensine a alegria de viver.

Do site: http://www.paz.com.br/
De Bem Com a Vida

quinta-feira, 10 de junho de 2010

A Preciosidade de Deus

Unto teu ser com os óleos
 sagrados do Meu Amor para
que não te enrosques nos
espinhos  dos teus dias...
Dou-te das cores e alegrias que
nascem da minha fonte para que
não sintas falta da Minha Bênção...
Banho-te nas águas azuis e
profundas da Minha Sabedoria
para que resgates a memória do
que és feito...
Aconchego teu ser nas alturas
da Minha Perfeição e digo:
"liberta teu ser para que
sejas livre como o vôo do condor
sobre as montanhas geladas;
para que não acostume com os
vales escuros da ilusão e sim
com a luz da essência que te
foi dada, porque és o Meu Filho,
a Minha Preciosidade".

Do maravilhoso site www.paz.com.br
Parábolas e Poesias

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Bom dia a todos !!!!!

DEUS Precisa de Ti 

O mestre chamou Rafi para dar-lhe uma importante missão: levar o melhor cavalo que possuíam no mosteiro e dá-lo de presente de aniversário ao rei. O Mestre disse a Rafi que anos atrás o rei veio até seu mosteiro e doou alguns potros e disse que quando eles estivessem crescidos, gostaria de revê-los.
- E, este dia Chegou meu caro Rafi! Levarás ao rei o melhor de nossos cavalos. Será um presente, um presente em agradecimento a sua bondosa doação ao nosso mosteiro. Arruma suas coisas e segue viagem ainda hoje. Deverás estar no castelo do rei amanhã ao anoitecer.
- Sim mestre, farei como pedes.
- Rafi cuida muito deste cavalo, ele é muito especial, eu mesmo cuidei dele até o momento presente. Não é um cavalo comum, é um cavalo extraordinário.
- Mestre, e se algo me acontecer? Afinal estarei sozinho nas montanhas!
- Não te preocupes com isso Rafi. Deixe para que Deus cuide de ti e do cavalo também. Ele estará contigo em todos os momentos, e qualquer coisa que não possa resolver sozinho, pede para que Deus te ajude e cuide das coisas por ti, entendeu?
- Sim Mestre. Cuidarei bem do cavalo e não te preocupes, estarei amanhã ao anoitecer entregando este cavalo ao rei.
- Está bem Rafi, que Deus te acompanhe e te proteja.
Rafi seguiu viagem ao lado do cavalo, que atendia pelo nome de Kim.
- Muito bem meu amigo Kim, vamos viajar!
- E assim, Rafi subiu e desceu montanhas ao lado de Kim, parando para deixá-lo comer e beber água. Começava a anoitecer, Rafi estava exausto!
- Muito bem, meu amigo Kim, vamos parar por aqui e vamos dormir. Teremos um dia longo amanhã e deveremos estar descansados.
Assim, Rafi armou uma pequena tenda e pôs-se a descansar, porém não conseguia dormir. Estava preocupado com o cavalo. Então lembrou-se das palavras de seu mestre e pediu a Deus que cuidasse do cavalo enquanto ele dormisse. Assim, Rafi relaxou e dormiu um sono profundo... Quando acordou pela manhã, o sol já estava alto. Assustou-se com o horário e tratou de levantar-se rapidamente. Quando saiu da tenda, não encontrou o cavalo. Correu para baixo, depois para cima, chamando pelo cavalo e nada! Procurou por Kim quase que o dia inteiro e não conseguiu encontrá-lo. O cavalo havia desaparecido!
Completamente desesperado, sem conseguir acreditar no que estava lhe acontecendo, voltou ao mosteiro cabisbaixo e procurou pelo mestre:
- Mestre, o cavalo, desapareceu!
- Não posso acreditar em suas palavras Rafi! Como isto aconteceu?
- Quando anoiteceu, armei a tenda para dormir. Como de costume orei a Deus e pedi a Ele que nos protegesse, a mim e ao cavalo. Pedi para que ele cuidasse do cavalo, enquanto eu dormisse. E de manhã, o cavalo havia sumido!
- Rafi, você amarrou o cavalo em algum tronco antes de dormir?
- Não mestre. Não havia necessidade. Eu pedi a Deus que cuidasse do cavalo para mim.
- Rafi ouça com atenção: Deus cuida de todos nós e nos dá tudo que pedimos de coração. Mas Deus não tem mãos para amarrar o cavalo. Faze a tua parte, Deus precisa de ti!


Do site: www.paz.com.br
Parábolas e Poesias

terça-feira, 8 de junho de 2010

O que vai dentro de ti

Deixa que o amor flua em ti.
Na vida, existem apenas dois caminhos:
ou estás pleno, amando a ti e aos outros,
ou estás vazio, sentindo raiva, tristeza e confusão.
Se estás sempre mal,
tens que saber que, em algum ponto, tu escolheste errado.
Escolheste por algo que não alimenta teu espírito,
que não alimenta tua alegria, teu amor e a tua fé.
E agora, tentas convencer-te do quão é difícil
reverter este estado que tu mesmo criaste.
Pensas que a raiva justifica o ataque a ti mesmo e ao outro;
Confundes tua certeza, tua clareza com coisas
que não sabes ao certo...
Nenhuma ajuda servirá àquele que não deseja ser ajudado.
Mas, aqueles que optam pela transformação, pela alquimia da mente, encontrarão todos os meios necessários
para que esta mudança aconteça.
Por nada saberem, tornam-se humildes
e por serem humildes aceitam, com grande alegria,
a ajuda vinda daqueles que podem lhes ensinar.
A ajuda vem da luz,
do silêncio que cobre o teu ser, quando estás aberto ao amor;
A ajuda vem do guardião de Deus que mora em ti,
protegendo, dia e noite, o tesouro que Deus te reservou;
A ajuda vem dos teus irmãos que estão ao teu lado,
e também, aos que longe de ti estão.
Para isso, contempla, com teu coração,
o que vai dentro de ti a iluminar
o caminho pelo qual deves percorrer.
Não justifiques a escuridão, achando que ela pode te ensinar
o que é necessário para que contemples tua leveza, teu amor...
Sê gentil e amoroso para contigo mesmo.
Une-te àqueles que aspiram por este mesmo propósito.
Assim, fortalecerás, a cada dia, o teu novo caminho,
a tua nova forma de compreender e aceitar o que é teu,
para sempre.

Esta linda mensagem é do site maravilhoso WWW.PAZ.COM.BR
E esta é a MENSAGEM DE HOJE para você.
Milhões de beijos a todos

sábado, 5 de junho de 2010

A Pedra do Mestre

Havia uma pedra, bela e grande.

Um dia, alguém passou por ali e vendo a pedra, pôs-se a contemplá-la.
Ficou por um longo tempo olhando os contornos da pedra,
as flores que a rodeavam e o sol que parecia deixá-la mais bonita.
Disse para si mesmo: esta é a Pedra do Mestre.
Posso Vê-lo sentado sobre ela a sorrir para mim.
E entrou em êxtase rapidamente.
Foi quando outra pessoa chegou e lhe falou:
Estou há algum tempo a observar-te, de frente para esta pedra, e penso:
o que pode levar alguém sorrir por tanto tempo a uma pedra e,
sinceramente, não encontro um justo motivo
que possa me convencer de que não estejas perdendo teu tempo.
Ele voltou-se para o estranho que invadira seu momento com o Mestre:
Pois bem. Fico também pensando em algo:
O que pode levar alguém a perder seu tempo tão precioso
querendo entender algo que está somente para ser sentido.
Eu olho para a pedra e vejo Deus.
Eu olho para a pedra e sinto Deus.
Tu olhas para a mesma pedra,
mas nada vês e com tua mente julgas o que não estás sentindo.
Para tornar-te um sábio, meu amigo, é preciso que vejas e sintas com o coração.
Só assim poderás ver, mesmo numa pedra, a presença de Deus a abençoar-te.


www.paz.com.br
Parábolas e Poesias

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Pequena Luz Azul


Rafi percorreu por muitos anos em busca de Deus...
Se Deus existia, queria encontrá-lo. Senti-lo em seu coração.
Conheceu muitos lugares sagrados.
Viveu com pessoas que oravam a Deus o dia inteiro; outras que entoavam cantos sagrados a Ele, outras que dançavam para Ele, outras que jejuavam ...
Mas, nunca sentira a real presença de Deus em seu ser.
Um dia, ao entardecer, cansado de tanto procurar por Deus, sentou-se à beira do rio e se pôs a chorar.
Um choro longo e profundo.
Próprio daqueles que tiveram suas esperanças fortemente ameaçadas pela força contrária a sua vontade.
Perguntava-se, entre soluços, como fora possível tantos anos de estudos, meditações, jejuns, danças...
E nunca ter sentido a presença de Deus em seu ser.
E agora? O que iria fazer? O que iria buscar?
Não, não havia mais nada a ser buscado...
Deus também não estaria lá.
Estava esgotado...
Chorou tanto que acabou adormecendo ao lado do rio.
Em seu sono profundo, um sonho, um belo e raro sonho...
Estava dormindo à beira do rio e acordou de repente com a presença de uma pequena luz azul.
Esta luz pairava feito paina a sua frente e Rafi pôde sentir, pela primeira vez em sua vida, um sentimento diferente, puro e luminoso.
Rafi levantou-se, secando as lágrimas que ainda persistiam e sentiu aquela luz o envolvendo mansamente.
Rafi sentiu uma norme paz em seu ser e aos poucos pôde ouvir uma voz serena vinda daquela luz bem próxima aos seus ouvidos, ao seu coração...
E esta lhe falava: Se choras por mim, sentirás dificuldade em me encontrar.
O único caminho para chegares até mim é através da tua alegria, do teu coração aberto, da tua paciência e da tua fidelidade.
Sendo assim, passas a permitir que eu floresça pouco a pouco nos campos do teu coração.
É preciso amar os caminhos que te conduzem até mim com todas as suas lentidões, com suas mudanças repentinas, com seus desvios, sem apressá-lo...
Eu desconheço o tempo, mas conheço cada fio de luz que te compõe.
Viver na Minha Presença significa engrenar no ritmo que move todas as coisas do Céu e da Terra para assim, aprender a desfrutar de cada instante.
Tu és a Minha Criança!
Protege-te docemente, descansa teu ser, que te cuido Eu.
Ter fé é viver o grande no pequeno.
Até o grande Carvalho, um dia, foi suavíssima penugem.
Saiba que aprecio muito mais a fidelidade às coisas pequenas, que estão ao teu alcance, do que as grandes que de ti não dependem.
Relaxa teu espírito, Eu estou contigo.
Sê humilde em tuas aspirações e encontrarás tudo de que necessitas para que não duvides da Minha Presença em teu ser.
Rafi chorava sem cessar.
Seu coração fora tocado fortemente.
Sim, aquela luz era Deus a lhe falar!
És a minha criatura, que tanto amo.
Encerra tua dor, pois me tens contigo eternamente.
E assim, a luz desceu silenciosa sobre as mãos de Rafi.
Quando Rafi acordou, já era noite.
Sentia em suas narinas o vapor doce da água do rio.
A noite era fresca e a lua mansa brilhava no céu.
Lembrou-se do seu sonho e quando viu, uma pedra, pequena e azul ainda brilhava em suas mãos.

Acesse  http://www.paz.com.br/ é maravilhoso
Parábolas e Poesias

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Um novo caminho

Se queres um novo caminho,
tens que aprender a deixar para trás
o que já não tem significado para ti,
para assim, dar lugar ao novo
que é a tua mais pura realidade.
A realidade que pertence ao conhecimento de ti mesmo; abrangendo áreas do teu ser que precisam e devem ser expandidas, para que possas saltar para mais perto da tua origem.
Decide esquecer o que traz bloqueios a tua jornada, a tua alegria, a tua confiança; o que traz medos e inseguranças aos teus planos.
Decide esquecer o que não pode dar consciência do teu potencial que é feito para ser atento, criativo e amoroso.
Coloca tua atenção na sutileza,
na integridade dos teus verdadeiros sentimentos, que mostram o caminho a ser percorrido para que sejas puro de coração.
Desfruta e aprende com tua própria experiência que a vida brota de cada momento vivido, profundamente vivido

Do site www.paz.com.br
Mensagem do Dia

quarta-feira, 2 de junho de 2010


A Bênção Em Sentir Paz


Quando a paz brota em nosso interior,
a vida contempla uma nova realidade,
a única a ser vivida e desfrutada.
O efeito é a alegria, que dá origem a um estado único,
onde a compreensão é presente e a conexão com o amor é estabelecida.
A paz está dentro de nós, para sempre.
Ela faz parte da nossa natureza.
Mas, nem sempre sentimos paz e isto se dá porque criamos grandes desvios em nosso próprio caminho, um caminho que nos foi dado para aprendermos a usar nossos dons,
nossas características divinas.
Não nos damos conta de que, quando fora da nossa rota,
distanciamo-nos do nosso estado natural.
Nossas projecções, nossas percepções equivocadas,
turvam a nossa visão interior, deixando-nos no escuro,
fazendo-nos acostumar a viver o que não foi feito para ser vivido,
como a ignorância em não tomar ciência da própria luz,
da própria força e do amor que tudo transforma para que
possamos ser dignos aos olhos do Criador.
Se estivermos atentos, veremos que a paz é como o ar que respiramos,
está em toda a parte, dentro e fora de nós.
Mas para percebê-la é necessário vermos as coisas sob a lente do amor,
 pois as criações de Deus só se manifestam no amor, pois são o próprio amor.
 Fora deste estado que Deus nos deu, será impossível sentirmos a bênção
 que paira sobre todos nós.
 Para sentir paz é necessário estarmos conectados com a paz e para isto,
 o estado presente e atento é necessário.
Quando partimos do princípio de que tudo nos é dado,
poderemos conhecer a nós mesmos e então estaremos
diante de uma inevitável realidade: a paz que tanto
sonhamos está em nós, nós somos a própria paz.


Do site www.paz.com.br
Coluna: Parábolas e Poesias

terça-feira, 1 de junho de 2010


Paciência do despertar

Dia a dia, não esquece de alimentar

o que brilha em ti.
Resgata sempre que puderes, um pouco da paz que está em teu coração e com ela celebra e fortifica os teus passos, as tuas direções.
Descansa no silêncio que pousa em teu ser sempre que teus olhos encontrarem as montanhas,
o nascer do sol...
Sempre que teus ouvidos comungarem com os ventos, com a chuva caindo no mar.
Aprende com a paciência do despertar que é pouco a pouco que tudo vai sendo definido, que é momento a momento que tudo vai sendo relembrado,
reconstruído e desfrutado.
Não alimenta a pressa que tua mente tem de chegar,
e sim a tranqüilidade que teu coração necessita
para caminhar.
Aprende e aceita, verdadeiramente,
que o que desejas ser-te-á dado, sempre.
Talvez não agora e talvez não da maneira como sonhaste, mas da maneira como Deus sabe que necessitas, da maneira como Deus sabe que,
assim, serás mais feliz.
Dia a dia, cuida de ti.
Não te castigues fortalecendo a dor, a raiva, a crença na escuridão... Apenas observa tais estados e sente o que podes aprender com cada um deles, quais mudanças poderás empreender, e depois deixa-os para trás.
Pede, determina e segue...
O caminho pode parecer longo,
mas àquele que se dedica, dia a dia,
na construção do seu próprio templo,
a este é dado conhecer a alegria de viver apenas o momento, o momento presente.


Do site www.paz.com.br
Coluna : De bem com a vida